2 de abril de 2017

Sex Danger - Capítulo 15

4 comentários | |

Emma Finley's P.O.V.
Eu não podia de forma alguma acreditar no que eu acabará de ouvir. Às palavras de Justin me acertam como uma bala no peito. Sentia meu corpo ser tomado pela dor, parecia que o sangue do meu corpo ia se esvaindo e cacos de vidros começassem a se locomover em minhas veias, me rasgando de dentro para fora.
Senti minhas pernas ficarem bambas e meus joelhos iram de encontro ao chão em um forte impacto. Lágrimas deslizarem por minhas bochechas, caindo sobre meu pescoço e indo de encontro ao chão.
Levei às mãos sobre o peito e tentei ao máximo me acalmar mas era quase impossível. Justin estava brincando, uma brincadeira de mal gosto mas, eu tinha certeza de que ele estava brincando.
— O que… O que você disse? — sussurrei com a voz trêmula.
— Eu matei o seu pai. — ele disse firme.

17 de fevereiro de 2017

Sex Danger.- Capítulo 14

4 comentários | |

Emma Finley's P.O.V.
Esperei Justin sair do quarto para segui-lo em seguida. Desci ás escadas nas pontas dos pés para não fazer barulho e segui até o corredor que dava acesso ao escritório dele. Olhava para os lados a cada passo que eu dava e me aproximava mais do escritório, até então desconhecido por mim.
A medida que eu ia me aproximando da sala ia ouvindo vozes se misturarem uma nas outras, podia ouvi ás vozes de Justin e Jason se misturarem uma na outra e á voz de Allan ao fundo. Me encostei na porta para que eu pudesse ouvir a conversa mais nitidamente.
Nós precisamos de um plano. Um plano que vai acabar de uma vez por todas com Mark. - ouvi Justin dizer.
— Mais para isso precisamos estudá-lo ou fazer ele cair em uma das nossas armadilhas. - Jason disse.
— Podemos usar a Emma. - Allan disse.
Senti os pelos do meu corpo se arrepiarem ao ouvi aquelas palavras.
— Nem pense nisso. - Justin disse — Não vamos usá-la como isca!

31 de janeiro de 2017

Sweet Girl - Parte I - Harry Styles

Um comentário | |

"Fecho os meus olhose vou devagar."
Hit The Ground - Justin Bieber
Eu estava presa à correntes, estava totalmente nua, com os olhos vendados e uma coleira ao redor do pescoço. Tudo estava escuro e aquilo me deixava cada vez mais excitada. A forma como eu não sabia o que iria acontecer, fazia com que todos os pelos do meu corpo se arrepiassem. A espera da dor transformada em prazer aguçava meus sentidos me deixando ligada os barulhos, ruídos e passos ao meu redor.
Ouvi o barulho de algo ser aberto e logo direcionei minha atenção para isso, algo foi tirado de dentro de alguma coisa. Passos se aproximaram de mim e aquilo vez meu coração se acelerar rapidamente.
O barulho de algo se chocando contra a parede chegou aos meus ouvidos, me fazendo saber o que viria até mim.
Era o chicoteo chicote de couro de Harry.
Senti o chicote bater contra minha nádega exposta e logo eu soltei um grito. Mais uma vez o chicote foi de encontro com a minha pele, mais uma vez, e mais uma vez. A pele da minha nádega, das minhas coxas e pernas estavam ardendo, eu suspirava pesadamente.
Me peça e eu te dou sweet!
Ouvi a voz rouca de Harry, ao pé do meu ouvido, todos os pelos do meu corpo se arrepiaram, e a adrenalina já se fazia viva em minhas veias.
Preciso que me faça sua!
Senti o pano ser tirado de meus olhos, o quarto estava totalmente escuro e não era possível vê absolutamente nada, olhei para todos os lados e não vi Harry. Senti mãos se entrelaçarem em meus cabelos e os puxarem com absurda força para trás me fazendo soltar um gemido de dor.
Algo meio pontiagudo foi arremessado contra minhas costas, me fazendo senti um pouco de dor. E mais uma vez, só que agora em minhas coxas, e depois em minhas pernas, fazendo com que eu perdesse a força.
Eu vou foder você como nunca!

10 de janeiro de 2017

Sex Danger - Capítulo 13

15 comentários | |

Mark Handerson’s P.O.V.
A boate do Justin estava lotada. Pessoas entravam e saíam a todo momento. Bebidas, drogas, cigarros estavam por todo o local, prostitutas passaram para lá e para cá há todo momento.
Observei Jason que estava parado no topo da escada com os braços cruzados, ele tinha uma expressão seria no rosto, segundos depois Allan se colocou ao seu lado e lhe disse alguma coisa, momentos depois os olhos de Jason caíram sobre mim e levantei o copo que estava em minhas mãos em forma de cumprimento.
Uma das dançarinas se aproximou de mim, colocando às palmas de sua mão em minhas pernas e me olhando de um jeito sensual.
— Aqui está um pouco cheio você não acha? — Ela disse ao pé do meu ouvido — Você não quer subir e se refrescar um pouco? — Ela sorriu.
— Claro docinho. — Pisquei para ela — Mas antes, gostaria de saber se seu chefe se encontra?
— Ele não…
— O que está fazendo aqui?
Viria o rosto para a direção da voz e vi Jason, seguido de Allan e mais alguns caras atrás de mim. Sorri e logo vi a dançarina se afastar.
— Vocês têm garotas muito boas aqui. — Me acomodei mais na cadeira — Isso responde sua pergunta?
— Você está cometendo um erro se acha que pode nos atacar aqui. É a nossa área. — Jason disse.
— Só estou querendo me divertir. Não precisa fingir que você é o chefe, quando sabemos que você não é. — Provoquei.
Vi a fúria tomar conta do rosto de Jason e Allan sussurrar algo para ele, bebi mais um gole da minha bebida e tirei um envelope do bolso o colocando em cima do balcão.
— De qualquer forma. — Me levantei — Eu já estava de saída. — Dei mais um gole na bebida — Entregue ao Justin, é do interesse dele. Sugiro que esse envelope chegue nas mãos dele o mais rápido possível!
— Tirem ele daqui! — Allan disse.
Assim que dois dos homens vieram em minha direção, levantei a mão em redenção rindo.
— Eu sei onde fica a saída.
Caminhei calmamente para fora da boate, com um sorriso no rosto. Esse jogo não poderia ficar melhor.

29 de dezembro de 2016

Sex Danger - Capítulo 12

10 comentários | |

N/a: Contém linguagem sexual. Desculpem á demora. Boa Leitura. LEIAM A NOTA NO FINAL.

Emma Finley’s P.O.V.
As palavras de Alan martelavam em minha mente, "foi a sua escolha", "é um caminho sem volta", "metade dessa cidade quer matar você". A intensidade dessas palavras fazia meu interior queimar, minha cabeça era um turbilhão de pensamentos e eu ainda podia sentir a pele do meu rosto formigando devido ao tapa que Justin deixará ali.
Allan estava me levando para casa, o caminho era feito em total silêncio, meu olhar caia sobre as árvores da estrada que passavam como um relâmpago por nós. Uma lágrima deslizou por meu rosto e eu tratei de secá-la, Allan fingiu não perceber e acelerou o carro, segundo depois seu celular soou pelo local chamando minha atenção. Olhamos ao mesmo tempo para o aparelho, meu coração se acelerou com a possibilidade de ser Justin a ligar.
— Não reconheço o número. — ele disse.
Voltei minha atenção para o nada que se passava ao lado de fora do carro, enquanto Allan atendia o celular o colocando na viva-voz.
— Alô? — Ele disse.
Allan? É o Jason, preciso que venha até a delegacia me buscar, Justin não atende!
— Você conseguiu se livrar de mais uma? — Ele riu de canto.
Eu não me chamo Jason Bieber à toa!
— Você vai ter que esperar um pouco, estou levando Emma para casa.
Ela está bem?
Meus olhos se cruzaram com o de Allan por alguns segundos até eu desviar o olhar novamente sem dizer sequer uma palavra.
— Não muito. — Ele disse — Foi uma longa discussão.
O que ele fez?
— Vou mandar um dos nossos homens ir pegar você, vou desligar.
Sem esperar a resposta de Jason, Allan desligou o telefone e segundos depois estacionou o carro em frente a minha casa.
— Chegamos.
— Obrigada por não dizer nada ao Jason. — Tirei o cinto.
— Não é como se ele não fosse saber.
— Obrigada por me trazer também.
— Sempre que precisar.